Archive for the Livros Category

House of Night o enoitecer de “Amanhecer” ?

Posted in Livros on 14 de Agosto de 2009 by Insônia Insana

imagem1Sacou a piadinha?? (ta foi pessima.. T.T)

Então House of Night é uma saga de seis livros (apenas o primeiro está publicado aqui no Brasil, e o sexto sai em setembro no E.U.A)

Veja abaixo mais informações:

O livro “Marcada” é o primeiro volume de uma saga de cinco livros chamada “The House of Night” (” Casa da Noite”) que já está fazendo sucesso nos EUA, escrita por P. C. Cast e sua filha Kristin Cast. Os cinco livros são: 1º “Marcada” (”Marked”); 2º “Traída” (”Betrayed”); 3º “Escolhida” (”Chosen”); 4º “Indomada” (”Untamed”) 5º “Caçada” (”Hunted”).
Semelhante a Crepúsculo no aspecto de vampiros e Harry Potter (ainda não leu a série de livros Harry Potter? )por se passar em uma escola onde alunos e professores têm poderes sobrenaturais, a série de livros pode ser considerada uma mistura desses dois grandes sucessos.
Por enquanto só “Marcada” foi traduzido para o português, mas o segundo livro, “Traída”, está previsto para ser lançado dia 09 de outubro desse ano aqui no Brasil.

Sinopse:
Zoey Redbird tem 16 anos e vive num mundo igual ao nosso, com uma única excepção: os vampiros não só existem como são tolerados. Os humanos que os vampiros “marcam” como especiais entram na Casa da Noite, uma escola onde se vão transformar em vampiros ou, se o corpo o rejeitar, morrer. Para Zoey, apesar do medo inicial, ser marcada é uma verdadeira bênção. É que ela nunca encaixou no mundo normal e sempre sentiu que estava destinada a algo mais. Mas mesmo na nova escola a jovem sente-se diferente dos outros: é que a marca que a Deusa Nyx lhe fez é especial, mostrando que os seus poderes são muito fortes para alguém tão jovem. Na Escola da Noite, Zoey acaba por encontrar amizade e amor, mas também mentira e inveja. Afinal, nem tudo está bem no mundo dos vampiros e os problemas que pensava ter deixado para trás não se comparam aos desafios que tem pela frente.

Pra quem já fã da série fiquem sabendo que os produtores Michael Birnbaum e Jeremiah Chechik, que compraram os direitos do livro, não cansaram de elogiar o romance de P.C. e Kristin Cast à Variety. Declararam que House of Night é um obra emocionante, que usa a transformação do humano para o vampiro como um metáfora das mudanças na passagem da adolescência à vida adulta.
Ou seja, o filme está bem proximo de acontecer. O que é realmente ótimo pois a saga é bem inteligente e envolvente.

Então a boa aceitação do livro também está por causa da nova moda gerada pela saga Twilight em vampiros, mas o livro House of Night conta também uma nova forma de se virar vampiros e novos poderes. Agora que os direitos autorais foram comprados não vai demorar muito para que essa saga chegue aos cinemas e assim dando um concorrente para Twilight.

Clique aqui pra baixar o primeiro livro

P.s: Vale muito apena ler! Eu estou lendo e amando, a saga é muito bem escrita e envolvente que gosta de tramas envolvendo vampiros vai amar também, lembrando também que não queremos entrar em nenhuma rivalidade envolvendo as duas sagas, as duas são otimas cada uma com seus fãs.

Anúncios

Formaturas Infernais

Posted in Livros on 2 de Julho de 2009 by Insônia Insana

21491879_4  Nessa emocionante coleção de contos de terror, as autoras bestseller Meg Cabot (O Diário da Princesa), Stephanie Meyer (O Crepúsculo), Kim Harrison, Michele Faffe e Lauren Myracle se reuniram para mostrar que a formatura pode ser um evento muito mais aterrorizante do que se pensa. Problemas no guarda-roupa e um par que dança mal não são nada comparados a descobrir que vocês está dançando com a Morte e que ela não está aqui para elogiar seu vestido. De problemas com vampiros até uma batalha entre anjos e demônios, estas cinco histórias vão divertir mais do que qualquer DJ em um terno brega. Nada de limusine ou vestido de gala: só uma grande dose de assustadora diversão.







  • Editora: Record
  • Autor: MEG CABOT & STEPHENIE MEYER
  • ISBN: 9788501085368
  • Origem: Nacional
  • Ano: 2009
  • Edição: 1
  • Número de páginas: 288

Gossip Girl

Posted in Livros on 1 de Julho de 2009 by Insônia Insana

 

Você ouviu os rumores… Finalmente, Gossip Girl revela o que realmente aconteceu antes do começo da série best seller do New York Times. Amigos de infância, Nate, Serena e Blair são inseparáveis… O único porem é que as duas estão perdidamente apaixonadas por ele – e uma não sabe o que a outra sente! Será o fim de uma amizade? Ou o início de um triângulo amoroso? Façam as suas apostas….

  • 21542735_4



    – Gossip Girl é um fenômeno de vendas ao redor do mundo. As vendas no Brasil ultrapassam 200 mil exemplares. 
    – A série de TV, em exibição no Warner Channel, é um sucesso em exibição em mais de 70 territórios. 
    – Edição especial em novo formato. 


    Tradução: Ryta Vinagre. 


  • Editora: Record
  • Autor: CECILY VON ZIEGESAR
  • ISBN: 9788501080844
  • Origem: Nacional
  • Ano: 2009
  • Edição: 1
  • Número de páginas: 430

Anjos e Demônios

Posted in Filmeees, Livros on 30 de Junho de 2009 by Insônia Insana

thumb-1-acd23aacdcÀ primeira vista, o livro Anjos e Demônios, de Dan Brown, autor de O Código da Vinci, pode parecer apenas mais um best-seller, e talvez tenha nascido com esta intenção, mas o leitor mais atento perceberá nas múltiplas questões nele abordadas, interligadas entre si, algo mais profundo, fruto das preocupações atuais e do mundo complexo construído pelo Homem.


Ciência, religião, terrorismo, fé cega, o papel da mídia nos acontecimentos que se desenrolam no cenário contemporâneo, são alguns dos temas que palpitam nas mais de quatrocentas páginas de adrenalina e reflexão, as quais cativam os que se aventuram a percorrê-las do começo ao fim. Esta é a marca principal desta ficção histórica, mesclar aventura e meditação, suspense e um mergulho profundo em matérias controvertidas, como a própria física quântica, explanada de uma forma tão simples e fascinante, que se torna acessível ao leitor não erudito. 

Esta trama assinala a estréia do simbologista Robert Langdon, consagrado pelo público brasileiro em sua segunda aparição, no livro O Código da Vinci, obra que caiu no gosto popular e abriu caminho para seu antecessor, Anjos e Demônios. Este irresistível thriller tem como cenário principal o Vaticano, palco das disputas acirradas entre a Religião e a Ciência. Robert tenta desvendar quem está por trás de um aparente atentado ao centro nervoso do Catolicismo, atento ao provável retorno de uma antiga seita científica, considerada herege pela Igreja, e por ela perseguida no desabrochar da Ciência, os Illuminati. Até então se julgava que esta fraternidade ancestral encontrava-se extinta há pelo menos 400 anos. 

De um lado, o CERN, centro do avanço tecnológico mundial, localizado na Suíça, representado pelo físico Maximilian Kohler; de outro, a Igreja, simbolizada pelo Camerlengo Carlo Ventresca, padre, assistente pessoal e confidente do antigo Papa, recentemente morto, prestes a ser substituído por um dos preferidos, candidatos submetidos à escolha do Conclave. O leitor é conduzido, junto com o protagonista, pelas histórias secretas dos Illuminati, pelos rituais presentes no Vaticano, nos bastidores dos conclaves, por uma viagem histórica que abrange desde a origem desta seita até os dias contemporâneos, que testemunham um novo e renovado confronto entre a Igreja e o conhecimento científico.

No período Renascentista a Ciência ganha um impulso acelerado, e a partir deste momento ela avança sem cessar. Neste contexto de progresso e conquistas inestimáveis é situado o suposto aparecimento dos Illuminati, um grupo de cientistas reunido em torno do que eles chamavam de Igreja da Iluminação. Eles se encontravam secretamente para debater os dogmas católicos e os descaminhos da instituição episcopal, que pretendia deter o monopólio da verdade. Eram os estudiosos mais esclarecidos da Itália, e logo passaram a ser perseguidos pela tirania clerical. Galileu Galilei era, segundo Dan Brown, um dos líderes desta seita, um pacifista que procurava conciliar sua fé, pois era católico inveterado, com a Ciência, para ele a linguagem que um dia traduziria a mais perfeita concepção de Deus. Era justamente a intervenção de Galileu que impedia a radicalização dos Illuminatus, que desejavam responder com violência às agressões sofridas pelo grupo. 

Leonardo Vetra, o físico assassinado logo no início da trama, é uma espécie de Galileu do mundo moderno. Padre e cientista, ele procura conciliar suas duas paixões, a Religião e a Ciência, tentando provar cientificamente a existência de Deus, com o auxílio dos conceitos da física quântica e de sua filha adotiva, Vittoria Vetra, também genial pesquisadora científica. Infelizmente, ele paga um alto preço por suas convicções. Ao que parece, estas duas vertentes que, unidas, poderiam conduzir a Humanidade à verdadeira noção do Criador e à visão real do momento da Criação, preferem ainda caminhar separadas, como dualidades a princípio irreconciliáveis. 

Em um determinado ponto da narrativa, fica claro para o leitor que tanto a Ciência quanto a Religião contribuíram, cada uma à sua maneira, para produzir o mundo caótico e materialista no qual vivemos, a civilização cética representada nesta história pelo povo que transborda da Praça de São Pedro no auge dos acontecimentos. Nela são fabricados loucos e fanáticos dos dois lados. Dan Brown parece defender, em sua obra, o equilíbrio e a união de esforços entre estas duas esferas, sem os quais a Humanidade corre o risco de se autodestruir, levando na bagagem destrutiva sua própria morada, a Terra. 

A Ciência, a despeito de sua materialidade intrínseca, parece caminhar quase involuntariamente para provar que no Universo tudo se intercomunica, todas as coisas se encontram interligadas, perpassadas por uma essência energética, questões estudadas hoje pela Física do Entanglement, ou do emaranhamento. Tanto místicos quanto biólogos e psicólogos já se deram conta dos momentos de extrema lucidez mental produzidos pelos estados alterados de consciência, como dizem os adeptos da Biologia; pela consciência elevada dos gurus e por instantes de superpercepção, como os estudiosos da mente humana preferem denominar. Estes são ainda raros ensaios de compreensão e de possível junção da Ciência com concepções espirituais, pois ainda predomina, de ambos os lados, a velha intolerância.

anjos-e-demoniosA Igreja continua a conquistar seus fiéis semeando a dúvida e o medo, enquanto a Ciência se alimenta do ceticismo provocado pelas questões que o clero não consegue mais responder satisfatoriamente, uma vez que continua a recorrer aos antigos dogmas, cada vez menos aceitos por pessoas minimamente esclarecidas. Esta trama toca em pontos delicados, mas necessários, abordando corajosamente questões que não podem thumb-1-3acf4d4495mais continuar à margem das discussões intelectuais e espirituais que pontuam os debates modernos. Estes temas se tornam, através da maestria narrativa de Dan Brown, perfeitamente acessíveis ao leitor comum. Ele sabe como criar uma ficção saborosa, irresistível e inteligente, como despertar nos que enveredam por suas linhas um desejo incontrolável de devorar cada página sem parar. Dan Brown se supera, mais uma vez, neste thriller fascinante. O autor, apaixonado pelo poder dos símbolos e pela história da Arte, é casado com a pintora e historiadora de arte Blythe, que é também sua assessora nos temas artísticos de seus livros.

Anjos e Demônios – Dan Brown – Editora Sextante – 461 pp.
Esse é um trailher do filme que foi lançado esse ano 2009. Eu ainda não vi o filme, mas o livro que li faz umas 5 semanas atrás é incrivel…. tira o folêgo e a gente não consegue parar de ler um minuto sequer, dá uma conferida no clipe e leia o livro, você vai se surpreender!


O Segredo do Anel

Posted in Livros on 29 de Junho de 2009 by Insônia Insana

Nestes post vou falar/recomendar de alguns livros q li e achei otiiiimo, irei começar por este que acabei de ler ontem (25/06/09) Realmente perfeito.

 

Kathleen McGowan, em seu livro “O Segredo do Anel – O Legado de Maria Madalena”, segue na mesma linhagem de autoras como Kate Mosse, escritora de “Labirinto”. Ambas mesclam com habilidade elementos de ficção e história, e demonstram quanto os registros escritos, produzidos sempre pelos vencedores, podem distorcer os fatos. Kathleen persegue ainda com mais determinação a verdade. Aliás, a busca de uma resposta à pergunta do romano Pôncio Pilatos ao nazareno Jesus Cristo – “o que é a verdade?” – torna-se uma obsessão para a autora, e também seu ponto de partida na elaboração desta obra.

thumb-1-ed9887ef8fEmbora Kathleen afirme ser este livro uma ficção, o primeiro volume de uma série s

obre a linhagem de Maria Madalena, quem se aventurar a ler o Posfácio poderá ter uma surpresa, agradável ou não, dependendo do quanto o leitor estiver disposto a aceitar o desafio lançado pela escritora às suas crenças e convicções. A autora, que confessa ter empreendido uma jornada de vinte anos na criação de “O Segredo do Anel”, partiu do desejo de contestar a história escrita, a visão estritamente  acadêmia dos acontecimentos, valorizando assim os registros orais, as tradições culturais preservadas ao longo de milênios, e mais vivas do que nunca. 

A escritora foi ainda mais longe. Ciente de que os historiadores reservaram nos livros um espaço mínimo para as mulheres, quase sempre as subestimando, ela decide resgatar as personagens femininas desta visão deturpada. Em suas pesquisas, determinada a transformar personalidades consideradas infames, prostitutas, adúlteras, em protagonistas importan

tes da História, Kathleen depara-se com a vida de Maria Madalena, e planeja incluí-la na galeria das heroínas injustiçadas. Mas, como admite a autora, Maria tinha outros planos para ela.

Seduzida e fascinada por esta personagem dos primórdios do Cristianismo, e por outras tantas figuras que povoam o Evangelho, a escritora passa a concentrar toda sua energia criadora nesta mulher que se destaca tanto no imaginário popular quanto no dos artistas de todas as épocas, e ganha cada vez mais relevo hoje, por conta de uma onda de revelações surpreendentes sobre sua vida. Não se pode, porém, afirmar que Kathleen seja apenas mais um elo neste suposto modismo. Embora o leitor, a princípio, possa crer estar diante de mais um best-seller sobre este tema, uma leitura mais atenta pode conduzi-lo por uma jornada inusitada, em alguns momentos surreal, mas não menos verdadeira, apenas por não se apoiar em documentos inequívocos.

thumb-1-954553aab6

É seguindo essa viagem por caminhos talvez nunca antes trilhados, que a autora compõe este romance, ou melhor, esta saga histórica que se desdobra no espaço e no tempo. Kathleen, assim como sua protagonista Maureen Paschal, percorre o Sul da França e os campos da Irlanda, as margens do Mississipi e a Terra Santa, e pontos sagrados de Paris, como a Catedral de Notre-Dame, Ao trilhar este percurso, a heroína também caminha ao encontro de sua real identidade, do seu papel na História, da compreensão de um universo até então desconhecido para ela, totalmente alheio à Razão Acadêmica. Maureen caminha do ceticismo para a aceitação de seu destino como a Escolhida, anunciada por uma antiga profecia. Parte de sua performance divina é justamente resgatar uma verdade negada pela história, mas preservada por longo tempo pelos guardiões de um raro tesouro, o Evangelho de Arques Segundo Maria Madalena. 

Em “O Segredo do Anel” os destinos de famosas famílias francesas, como os Médici e os Bórgia, de artistas da Renascença, como Botticelli e Da Vinci, de poetas como Jean Cocteau, de cientistas como Isaac Newton e religiosos como São Francisco de Assis e Joana D’Arc, entrelaçam-se às histórias dos Cavaleiros da Távola Redonda e também às vidas dos personagens que habitam as páginas do Evangelho, todos girando em torno das figuras carismáticas de Jesus Cristo e Maria Madalena. Maureen viaja aos primórdios do Cristianismo, com a ajuda de misteriosos personagens, revelando a face ao mesmo tempo humana e divina de Jesus, e o real papel que coube a cada discípulo nesta jornada de luz e sombra. Neste cenário destacam-se mulheres fortes, líderes de sua era, como Maria, mãe de Jesus, Salomé, enteada do tetrarca Herodes, e Cláudia Procula, esposa de Pôncio Pilatos, alçadas nesta obra à sua real estatura na história do cristianismo primitivo.
O leitor, junto com Maureen Paschal, é transportado nesta trama de surpresa em supresa. Ele descobre o significado do movimento nazareno, tão pouco explorado pelos pesquisadores desta época, e se depara com os meandros da política judaico-romana dos tempos de Jesus – qualquer semelhança com os mecanismos políticos contemporâneos não é mera coincidência. A narrativa de “O Segredo do Anel” é ágil, eletrizante, vibrante, e prende o leitor do começo ao fim. A autora – jornalista e editora-chefe de “The Irish News” – consegue sem muito esforço, neste seu romance de estréia, montar um mosaico histórico-ficcional que se move constantemente no espaço e no tempo, escapando das armadilhas que transformam algumas tramas em uma colagem confusa de fatos e personagens. O desenrolar deste enredo é inteligente, bem editado, e Kathleen tem o dom de construir personagens elaborados, profundamente humanos em seus dilemas e escolhas, como o Padre Peter Healy.

thumb-1-ad5205afdf Kathleen McGowan revela-se uma brilhante jornalista investigativa, sempre compelida a questionar, a buscar as histórias não contadas, as camadas ocultas dos relatos oficiais. Esta sua herança contestadora vem dos tempos de militância política na Irlanda do Norte, na década de 1980. Como testemunha dos acontecimentos, ao vê-los distorcidos pela mídia e por historiadores acadêmicos, ela desenvolve um profundo ceticismo pelos registros históricos. Na busca da verdade, Kathleen desafia conceitos estabelecidos, instituições, convenções, e revela-se uma contadora de histórias nata, na melhor tradição da cultura oral, dos ancestrais griôs, ou “mestres da sabedoria”.

Com certeza o leitor, embora adquira o livro “O Segredo do Anel” como mais um best-seller de temática espiritual, irá se surpreender a cada página desta obra, ao se deparar com o produto de uma investigação meticulosa. Todos os fatos revelados nesta obra falam mais alto a favor da tolerância, da compaixão, do amor e do perdão. A autora não julga nem condena ninguém, muito menos a Igreja, ao contrário de outros escritores. Suas teses reforçam ainda mais os ensinamentos cristãos, à medida que enfatiza o lado humano de Jesus. Vale a pena deixar de lado os preconceitos e conferir esta leitura!